Imprensa

04 set 2015
Consultas da Unimed Paulistana são negadas após plano perder clientes

Consultas da Unimed Paulistana são negadas após plano perder clientes

Folha de S.Paulo – 04/09/2015

Os clientes da Unimed Paulistana não estão conseguindo agendar consultas com especialistas nem realizar exames em alguns laboratórios nas cinco regiões da cidade de São Paulo.

Na quarta-feira, a operadora de saúde foi obrigada pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) a entregar sua carteira de clientes para outra empresa em até 30 dias por quebra financeira.

Ontem, a reportagem contatou 25 clínicas e cinco laboratórios nas cinco regiões da capital. Entre as clínicas, dez suspenderam a marcação de consultas e não vão mais atender a Unimed Paulistana, cinco garantiram atendimento até o final do mês e três disseram que apenas os pacientes agendados passarão por consulta. As demais deram outras orientações. Algumas marcaram a consulta, mas disseram que ela poderá ser remarcada.

Dos laboratórios, Delboni, Lavoisier, CDB e OMNI não fazem mais exames pelo plano de saúde. Apenas o Hemocito Laboratório Médico de Análises Clínicas atende os clientes.

Segundo o Procon-SP, “a operadora continua tendo a obrigação de atender aos seus beneficiários”. Para denúncias, a orientação é buscar os órgãos de proteção e defesa.

A designer gráfica Marina Aoki Elias, 32 anos, é uma das clientes prejudicadas. Ela fez uma cirurgia no joelho há um mês e precisa realizar sessões diárias de fisioterapia. Foram autorizadas dez sessões e, depois que elas forem feitas, não será mais possível remarcar. “Ainda tenho sete sessões, depois, não sei o que vou fazer”. Ela ainda precisa voltar ao médico para avaliar o pós-operatório, mas o consultório já avisou que pode haver cobrança da consulta.

Na avaliação do advogado especializado em planos de saúde Rodrigo Araújo, sócio do escritório Araújo, Conforti e Jonhsson, a quebra da Unimed Paulistana prejudica também outras cidades.

Segundo ele, quem contratou plano de cobertura nacional eventualmente vai para São Paulo fazer tratamentos. Com as negativas, esses clientes também são afetados. “São Paulo é uma cidade de turismo médico.

OUTRO LADO

Em nota, a Unimed Paulistana afirmou que a rede credenciada vem adotando atitude abusiva e unilateral ao suspender os atendimentos aos clientes da operadora e que, por isso, está adotando medidas administrativas e judiciais em nome dos usuários.

“Lembramos que a Unimed Paulistana teve decretada a alienação da carteira e não sua falência ou liquidação”, diz a nota. A empresa afirma ainda que está “reunindo todos os esforços para assegurar o atendimento de todos os clientes”.

Fonte: Jornal Folha de S.Paulo

2015.09.04_folhasp