Imprensa

10 jun 2010
Vacina contra H1N1 pode enganar resultados para HIV

Vacina contra H1N1 pode enganar resultados para HIV

Quem se vacinou contra a gripe H1N1 pode ter diagnóstico positivo para HIV sem ser realmente portador do vírus. Segundo o Ministério da Saúde, o possível engano no resultado pode ser decorrente do aumento, por 30 dias, da quantidade do anticorpo imunoglobina-m, tido como indicativo da presença do vírus da Aids. O diagnóstico falso pode ocorrer até 112 dias após a vacinação contra a H1N1.

Segundo o advogado Julius Cesar Conforti, especializado na área médica, quem receber um eventual teste equivocadamente positivo para HIV pode entrar com ação por danos morais contra o governo federal.

Para Conforti, o governo deveria ter incluído nas campanhas de vacinação informações sobre o risco de erros nos diagnósticos.

“Qualquer pessoa que se sinta lesada em decorrência de um resultado equivocado de um exame, pode buscar judicialmente a reparação dos danos sofridos, incluindo os de ordem moral. No caso específico da vacina H1N1, não tendo o Estado cumprido com a devida obrigação de informação à população, certo é que pode ser responsabilizado pelos danos causados aos cidadãos que receberam um resultado equivocado de HIV. Ainda que a real constatação da existência do vírus dependa de novos exames – contraprova – o fato de ter havido um resultado positivo, por si só, é causa de grandes abalos psicológicos e emocionais, ensejadores do recebimento de indenização por dano moral”, explica o advogado.

  Fonte: Portal Mix Brasil (ler a reportagem no site)