Clientes da Unimed Rio em Belo Horizonte estão sem atendimento da Unimed BH

06 de outubro de 2016

acj-blog-unimed-rio

A Unimed BH suspendeu o atendimento a clientes da Unimed Rio desde o dia 03/10/2016.

A Unimed BH suspendeu o atendimento a clientes da Unimed Rio desde o dia 03/10/2016. e, em seu site, esclareceu que prestará o serviço aos clientes da Unimed Rio apenas em casos de emergência e que o atendimento eletivo foi suspenso em razão dos sucessivos atrasos nos repasses e pagamentos devidos pela Unimed Rio.

A maioria dos consumidores da Unimed Rio fora do Estado do Rio de Janeiro eram clientes da Golden Cross que, em 2013, vendeu a carteira de contratos de pessoas físicas para a Unimed Rio.

A operação, autorizada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), foi muito prejudicial a todos os consumidores que foram transferidos da Golden Cross para a Unimed Rio.

A Golden Cross é uma operadora de saúde com cobertura nacional e a Unimed Rio possui cobertura apenas regional, limitada à cidade do Rio de Janeiro e grupos de municípios vizinhos.

Para prestar o serviço fora da sua região de cobertura, a Unimed Rio depende da rede credenciada contratada por outras empresas que trabalham sob a marca Unimed.

Em todo o Estado de Minas Gerais, a Unimed Rio conta com 26.382 beneficiários, conforme informação disponibilizada no site da ANS, a maioria localizada na região metropolitana de Belo Horizonte.

Para esses consumidores, a expectativa não é positiva. Não há prazo para regularização da situação e a ANS não dá sinais de que irá interferir.

Exemplo disso é a situação dos 28.532 consumidores da Unimed Rio em São Paulo que estão sem a rede credenciada de prestadores de serviços (hospitais, clínicas, laboratórios e médicos) desde a quebra da Unimed Paulistana, em setembro de 2015.

No site da Unimed Rio, consta apenas a informação de que a operadora está se empenhando em reformular a rede credenciada em São Paulo, mas a situação permanece inalterada há mais de um ano.

A ANS, por sua vez, não emitiu sequer um pronunciamento a respeito do problema e assim também deverá ocorrer em relação à grave situação dos clientes da Unimed Rio em Belo Horizonte.

O problema pode se repetir em outras cidades

Por conta da aquisição da carteira de clientes da Golden Cross, a Unimed Rio possui clientes em todo o país. Além dos clientes que moram em São Paulo e Belo Horizonte, os clientes de outras cidades também devem ficar alertas.

Se a Unimed Rio não está pagando a Unimed Belo Horizonte, há razões para temer que outras Unimeds também não estejam sendo pagas corretamente, o que poderá ocasionar paralização do atendimento em outras regiões do país. Rio Grande do Sul, por exemplo, conta com 18.086 clientes da Unimed Rio, Bahia – 10.643, Distrito Federal – 8.870, Paraná – 8.222, além de outros Estados.

Unimed Rio pode ter o mesmo destino que a Unimed Paulistana

Em julho deste ano, a Araújo, Conforti e Jonhsson – Advogados Associados, publicou um artigo em que explica, com muitos detalhes, a crise da Unimed Rio e aponta diversas semelhanças entre os problemas que causaram a quebra da Unimed Paulistana e os problemas atuais da Unimed Rio, alertando os consumidores acerca do risco de a operadora carioca ter o mesmo fim da operadora paulistana:

http://www.acjadvocacia.com.br/blog/ans/a-crise-da-unimed-rio-entenda-analise-e-saiba-o-que-fazer/

De lá para cá, esse risco só aumentou.

O consumidor deve ficar atento e a possibilidade de migrar para outras operadoras não deve ser descartada. Se a Unimed Rio quebrar, a alternativa que vier a ser apresentada pela ANS para os clientes dessa operadora não deverá atender a expectativa mínima do consumidor.

Mas uma vez, o exemplo é a Unimed Paulistana. Os clientes da Unimed Paulistana ficaram cerca de 02 meses sem nenhum atendimento e, após esse período, receberam a proposta de portabilidade para planos de saúde de outras empresas do grupo Unimed, mais caros e com qualidade muito inferior à que dispunham na Paulistana.

Clientes da Unimed BH – O que fazer?

Quem puder, é recomendado fazer a portabilidade de carências para outra operadora. Para portar carências, é necessário que o plano seja regulamentado pela lei dos planos de saúde, que o contrato tenha mais de 02 anos (em caso de primeira portabilidade) e o pagamento esteja em dia. Nessas condições, o consumidor pode fazer a portabilidade a partir do mês de aniversário do contrato e nos 3 meses seguintes. Maiores orientações podem ser obtidas em http://www.acjadvocacia.com.br/artigos/portabilidade-de-carencias-do-plano-de-saude/.

Infelizmente, o consumidor só poderá portar para planos de saúde elencados pela ANS em seu site e, muitas vezes, não há boas opções ou, em alguns casos, não existem opções.

Quem não puder fazer a portabilidade, terá que cumprir carências se contratar outro plano de saúde, devendo ficar atendo a carência para doença preexistente que é de 24 meses de contrato.

Se não puder cumprir esses prazos de carência, a solução será judicial.

É necessário analisar caso a caso, mas há a alternativa judicial de exigir que a Unimed BH continue a prestar atendimento para os clientes da Unimed Rio, tal como a ACJ Advogados tem exigido da Unimed FESP em São Paulo (veja mais em http://www.acjadvocacia.com.br/blog/ans/planos-de-saude-juiz-defere-liminar-para-obrigar-unimed-fesp-a-atender-clientes-da-unimed-rio-em-sao-paulo/).

Em alguns casos, é possível exigir a portabilidade para outras operadoras, mesmo se não forem atendidos a todos os requisitos mencionados acima.

Também é possível exigir que a Unimed BH aceite o cliente da Unimed Rio em um novo contrato, diretamente com a Unimed BH, sem poder exigir o cumprimento de novos prazos de carência.

A ACJ Advogados

Sob o comando de seus atuais sócios, Rodrigo Araújo, Julius Conforti e Claudineia Jonhsson, o escritório investe constantemente na formação de seus advogados e demais funcionários para garantir os melhores resultados para as demandas de seus clientes.
No Estado de São Paulo, a Araújo, Conforti e Jonhsson – Advogados Associados conta com escritórios na capital e na cidade de Sorocaba.

Em 2016, em razão do aumento da demanda pelos serviços prestados pelo escritório na cidade de Brasília/DF, foi inaugurada uma nova unidade na Capital Federal, que objetiva estreitar a relação com o cliente e, também, aprimorar o trabalho realizado pelo escritório perante os Tribunais Superiores.

O escritório conta, ainda, com correspondentes em todo o Brasil.

Nossa atuação exclusiva na área do Direito à Saúde nos qualifica para prestar assistência a clientes em qualquer região do país, sempre de forma ágil e eficaz, garantindo-se, assim, o atendimento médico, inclusive em situações de urgência.

deixe o seu comentário